Mundo dos negócios e o crescimento das Startups

Mundo dos negócios e o crescimento das Startups

Você já ouviu falar na 100 Open Startups ou em Open Innovation? O que vem a sua cabeça ao ler isso? Bom para explicar melhor o fundador e CEO da empresa ,Bruno Rondani, ressalta que

“Open Innovation já é uma realidade no Brasil e vem crescendo exponencialmente, o que é comprovado pelos números apresentados. Estamos extremamente satisfeitos em termos ajudado a fomentar no país um ambiente de colaboração que gera oportunidades reais de negócios inovadores. Há três anos, quando lançamos o primeiro Ranking era ousado pensar em encontrar 100 startups qualificadas para esse tipo de relacionamento”

O Manager e empresário também relata que este processo interliga pequenas com grandes empresas, totalizando um número de 275 startups obtendo pontuação para o ranking de 2018.

Lista divulgada ano passado, em São Paulo, e que continua a movimentar o ramo dos novos negócios e a exponenciar novos empreendedores criativos e focados em suas atuações.

A lista com essas 100 empresas iniciadas 2018, mais atraentes na visão do mercado e que estão prontas para receber investimentos você pode conferir no link abaixo:

https://www.openstartups.net/br-pt/ranking/

Os setores que receberam destaque na lista são Varejo, Agricultura, Construção, Serviços Financeiros, Alimentação e PME’s. Entre as tendências de crescimento foram encontrados o Marketplace, Big Data, Biotech, Visão Computacional, Internet das Coisas, Realidade Virtual e Realidade Aumentada.

Para análise, discussão e final definição do rankeamento, 9 mil executivos de 800 grandes empresas conectadas avaliaram mais de 4.600 startups ativas, registrando 32 mil avaliações, estabelecendo mas de 1.500 relacionamentos entre 275 startups e 243 grandes empresas.

Realmente um novo universo de oportunidades, negócios e rentabilidade não é mesmo?

Compreender portanto novas tendencias e aproveitar dons, pontos fortes, preferências, enfim independentemente de como venha a adjetivar, é o fator primordial no universo business, buscar novas soluções ao dia a dia e pensar fora da caixa, ser criativo, explorar o que outros consideram estranho ou até mesmo errado.

Pensar e atuar de forma global, coletiva, partindo de princípios como a co-criação, mindsets, reuniões colaborativas, etc. As possibilidades são infinitas e não há uma fórmula mágica ou exata para atingir o sucesso, entretanto pesquisas de público, concorrentes e estratégias de impacto e atualização de novidades são caminhos trilhados pela maioria das grandes empresas existentes.

Espero que com todas essas dicas tenha se sentido animado para inovar, buscar/atrair novos clientes e desenvolver ainda mais suas ideias e negócios.

  1. Ano promissor para Startups?

Nomes como David Velez, Fabrício Bloise e André Street, certamente são desconhecidos para a maioria da população brasileira. Porém suas respectivas marcadas são internacionalmente famosas; Nubank, iFood, Playkids e Stone, estão entre as maiores explosões no mundo business, movimentando uma receita gigantesca.  Essa geração de empresários é a nova cara do capitalismo brasileiro, que tem como base tecnologia, inovação e criatividade.

Ao contrário de empresas tradicionais, que ainda sofrem para superar a grave crise que assolou o país, seus negócios crescem a dois dígitos por mês, empregam como nunca e valem bilhões de reais – só as cinco maiores companhias dessa nova economia (Nubank, 99, Stone, PagSeguro e Movile) valem cerca de R$ 89 bilhões. No jargão do mercado, elas são chamadas de unicórnio, startups que alcançaram a marca de US$ 1 bilhão em valor de mercado.

Esse panorama instiga um crescimento motivacional e serve como combustível financeiro para a economia nacional. A base para toda essa expectativa se baseia na mudança de poder politico, estaduais e principalmente em âmbito nacional, além do alívio da crise sofrida nos últimos anos. Exemplo disso fica nas empresas unicórnios comentadas anteriormente e nos dados levantados de acordo com a Associação Brasileira de Startups (ABStartups), o mercado de startups brasileiras dobrou nos últimos seis anos. Em 2012, eram 2519 startups cadastradas na associação; em 2017, esse número alcançou 5147 empresas. A quantidade pode ser ainda maior, pois muitas startups estão em uma fase de concepção e muitas outras ainda não têm o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), de acordo com a entidade. A expectativa para esse mercado é promissora em 2019.  

O mercado está efervescente, esse é um daqueles momentos em que o start deve ser dado ou melhor dizendo startup!!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

Abrir Whatsapp
Informações aqui
Olá, tudo bem? Se quiser informações sobre nossos serviços, clique abaixo para conversar conosco no Whatsapp.
Powered by