Perspectivas de SEO para 2019 – O que ainda funciona, o que não funciona e o que será priorizado pelo Google

Perspectivas de SEO para 2019 – O que ainda funciona, o que não funciona e o que será priorizado pelo Google

Quem trabalha com Search Engine Optimization (Otimização para mecanismos de busca, ou SEO) deve estar preparado para as mudanças do Google que vem por aí.

Passou o tempo em que era possível posicionar um site na primeira página do Google a nível nacional apenas escondendo textos com CSS.

Venho acompanhando o desespero de muitos profissionais de SEO em fóruns e comunidades. Ano após ano surgem novas queixas: primeiro, o Google começou a identificar textos ocultos, depois o spam, keyword stuffing… A cada novo update, o algoritmo está melhor em identificar “trapaças”, penalizando milhões de páginas que se aproveitavam das falhas, brechas e oportunidades que a ferramenta oferecia até então.

Muitas das técnicas de Black Hat SEO já não funcionam mais, ou perderam grande parte do seu efeito. As keywords exatas no nome do domínio, por exemplo, tiveram sua efetividade reduzida em mais de 80%. Técnicas proibidas que eram favoritas dos desenvolvedores, agora são pegas facilmente e punidas com severidade, muitas vezes passando de 1ª página para 4ª ou 10ª, reduzindo drasticamente ou completamente a visita do site pelos mecanismos de busca. Nos casos mais extremos, o domínio inteiro é banido do Google, como foi o caso da Decolar em fevereiro de 2011 pela compra de milhões de backlinks.

1 – O que deixou de funcionar no SEO?

Doorway Pages: Essa técnica já morreu há muito tempo! Foi criada inicialmente com o objetivo de posicionar palavras-chave em massa nos buscadores e redirecionar o usuário para outra URL assim que ele clicasse no link da SERP. Já faz quase uma década desde que este tipo de técnica não tem mais efeito.

 

Keyword Stuffing: Encher sua página de palavras-chave já foi uma boa opção para posicionar sites. Títulos, meta-tags, conteúdo… mas nada disso funciona hoje em dia! A ocorrência da palavra-chave não deve ser superior a 3% do conteúdo da página, do contrário, um alarme vermelho será disparado no Google e mais cedo ou mais tarde, sua página pode ser punida!

Cloaking: Cloaking foi minha técnica favorita de Black Hat SEO por muitos anos. Funcionava da seguinte maneira: Quando um spider do Google visitava sua página, ele veria um conteúdo X, porém, o usuário final veria um conteúdo Y. Desta forma, você poderia fazer uma página super otimizada para o Google para que ela ganhasse um bom ranking, mas apresentasse um conteúdo bem diferente para o usuário final. Isso era feito facilmente com programação através do “User-Agent”. No entanto, os algoritmos do Google conseguem detectar cloaking com facilidade hoje em dia e a punição é certa!

Conteúdo Oculto: Esconder textos na página já me rendeu várias keywords bem posicionadas. Através de um simples comando de CSS “style=”display:none”, dava pra esconder milhares de palavras-chave dentro de uma página. Apesar do display:none ainda ser muito utilizado, ele já não tem mais efeito para o Google. Inclusive, o Google anunciou recentemente que páginas que utilizam elementos que necessitam de interação do usuário para serem exibidos, como os acordeons e mega-menus, podem não ser indexados como conteúdo da página.

2- O que ainda funciona mas irá cair em breve?

Sem sombra de dúvidas, técnicas complexas de SEO cairão por terra em breve. Me arrisco a dizer que as PBN’s (rede de blogs privadas com objetivo de conseguir links) e Tier Link Building (criação de webs 2.0 como WordPress e Tumblr de forma massiva para aquisição de links) perderão sua efetividade em breve!

Antes que você me pergunta como então o Google irá definir as métricas de um domínio, passemos para o terceiro tópico.

3 – O que será priorizado

Todo analista de SEO conhece a máxima: CONTEÚDO É REI! Os engenheiros e programadores do Google sempre souberam disso, mas nunca encontraram uma maneira exata de quantificar o conteúdo de um site através de algoritmos.

Eu falei que PBN’s e Tier Link Building são técnicas que cairão em breve, e explico minha teoria: o Google passará a dar mais relevância para links e sites que geram tráfego e links que recebem cliques. Qualquer profissional de SEO sabe que PBN e seus links não geram nenhum tráfego, mesmo sua PBN tendo PA 80 e DA 70 (métricas da MOZ), ela NÃO GERA TRÁFEGO real! Isso ocorre por que o conteúdo utilizado em PBN’s costuma ser extremamente fraco (eu mesmo utilizo artigos expirados do WayBack Machine ou artigos traduzidos e retraduzidos em diversos idiomas até se tornar autêntico). Ninguém vai querer perder tempo lendo esses conteúdos.

Outra que o Google passará a utilizar como métrica para posicionamento serão os acessos diretos. Ou seja, alguém digitar a URL no navegador e acessar o site. É um grande sinal de que as pessoas confiam naquele endereço, seja para qual finalidade for…

Por isso, confie na máxima! CONTEÚDO É REI! E esse conceito nunca teve tão atual… se você quer posicionar seu site, antes de pensar em mil e uma técnicas de White, Grey e Black Hat, invista em conteúdo de qualidade. Isso automaticamente irá atrair leitores e, como consequência, irá trazer um bom posicionamento do seu site no Google.

Texto escrito por Sergio Ronei Hentz

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

Abrir Whatsapp
Informações aqui
Olá, tudo bem? Se quiser informações sobre nossos serviços, clique abaixo para conversar conosco no Whatsapp.
Powered by